A Casa Vida é na verdade um sonho! 

Sim, sonhamos ter um dia um local onde possamos receber pessoas que estejam precisando de um teto temporariamente. Depois de anos assistindo pessoas em situação de vulnerabilidade, constatamos que uma das necessidades mais imediatas na maioria das vezes é abrigar estas pessoas, ainda que por pequeno espaço de tempo, até que consigam se ver livres dos embaraços que as levaram a não ter para onde ir.


O projeto que descrevemos nesta página é na realidade um convite a qualquer um que possa nos ajudar a tornar isto uma realidade. Contate-nos!


 

O PROJETO

A Casa Vida segue a mesma linha de outros projetos desenvolvidos pela Fundação Tenda onde a palavra VIDA está presente em seus títulos. Assim como já existe os projetos Vida Legal e o Vida Saudável, será dada Vida a uma Casa para abrigar brasileiros necessitados, na Holanda.

 

Nos registros das organizações que trabalham com assistência a imigrantes há vários casos com motivos pelos quais um imigrante vem a ter necessidade de um abrigo temporário e emergencial. A violência doméstica e a condição de indocumentados (ilegais), são os fatores mais frequentes que ocasionam a busca de um abrigo urgente. As vítimas mais passíveis são as mulheres com ou sem filhos menores ou indocumentados que por não terem direito a moradia ou mesmo acharem que não tem o direito de denunciar frequentes abusos e enganos do mercado imobiliário não regulamentado, as vezes se vêm na rua.  Tais pessoas, não são elegíveis para ir morar em um abrigo da rede oficial holandesa e ainda que tenham registro na prefeitura local, como no caso de algumas mulheres, se não denunciarem a violência doméstica na polícia e obtiverem uma ocorrência da agressão, a ajuda para a admissão em um abrigo oficial será negada.

 

O alojamento do Exército da Salvação é ocasionalmente indicado pela Fundação Tenda, mas só é permitido que a pessoa passe a noite no local e durante o dia desocupe o prédio. Na maioria destes alojamentos  não é permitida a presença de mães com crianças e casais não podem ficar juntos no mesmo quarto.

  

Diante desta realidade de total carência em relação a abrigos para acolher imigrantes nestas condições, se torna crucial a instalação de um local em que possam sem colocados temporariamente homens, mulheres e crianças, de forma segura e digna.

 

Objetivos Específicos

 

Atender a cidadãos brasileiros, residentes ou não, documentados ou não, com ou sem recursos financeiros que estejam necessitando de um teto temporariamente nos Países Baixos.

 

No caso de mulheres que fugiram de suas casas num momento de emergência, ter um local onde possam se tranquilizar e esperar por algum tipo de ajuda, que estará sendo providenciada, fará enorme diferença.


 

Assim como no caso de jovens, geralmente rapazes, muitas vezes viciados em drogas, que não tem dinheiro para pagar suas despesas diárias e já entraram com pedido de bilhete aéreo, por exemplo, à IOM.

 

Estrutura Interna

 

A Casa Vida terá uma diretoria formada por um coordenador geral, um contador, assessor de Comunicação e Relações Públicas, zelador do prédio e patrimônios, consultor jurídico, consultor psicossocial e coordenador do voluntariado.

 

O coordenador geral será o funcionário remunerado para garantir que o abrigo funcione a contento. Como equipe de apoio, voluntários serão convidados a dar sua colaboração. Os voluntários serão encarregados de assistir os hóspedes, procurando acompanhar e atender, na medida do possível, seus pedidos pessoais.

 

Os voluntários também trabalharão em escalas semanais na vigilância e segurança do prédio, de maneira que sempre haja a presença de um membro do voluntariado para eventualidades e emergências. Ou para mediar situações de conflito como diferença de opiniões, comportamentos inadequados, a limpeza do local e solucionar outros pontos que possam causar fricções emocionais entre os hóspedes.

 

Para os voluntários que estiverem envolvidos no acompanhamento regular e diário de hóspedes em situação de maior gravidade estão previstas sessões constantes de intervisão com um profissional especializado (terapeuta psicossocial que não faça parte da diretoria e sim do voluntariado) de maneira que estes possam ter possibilidades de expressar e dividir suas emoções relacionadas ao acompanhamento de hóspedes.

 

Atendimento

 

A principio a Casa Vida atenderá imigrantes em caso de necessidade emergencial de um abrigo. Os hóspedes poderão dispor de uma cama, em quartos coletivos, no caso de um indivíduo ou um quarto todo, nos casos de família com filho(s). 


 

- Será oferecida assistência médica para os casos de emergência através do sistema nacional de saúde e um profissional de saúde voluntário.

- Será oferecida assistência jurídica e psicossocial levando em consideração os critérios e limites dos Projetos Vida Legal e Vida Saudável, já existentes e ativos na estrutura da  Fundação Tenda.

- Produtos de higiene pessoal ou ajuda de custo para os hóspedes que os necessitarem

- Ajuda de custo para gastos pessoais incluindo alimentação, compra de fraldas, medicamentos genéricos.

- Ajuda de custo para despesas com transporte para deslocamento a locais como médicos, hospital, penitenciária, consulado, tribunal, prefeitura, advogado, assistência social, dentista, entre outros.

 

Regimento interno

 

A Casa Vida terá regras internas para disciplinar a convivência entre os hóspedes e garantir o funcionamento do local de maneira saudável. Um esquema de atividades, horários e serviços está sendo elaborado de maneira que os hóspedes possam dar a sua colaboração pessoal, respeitem os outros hóspedes e sintam-se responsáveis pelo espaço que ocupam ainda que temporariamente.

 

Em linhas gerais haverá horários fixos para a limpeza das áreas coletivas, para ocupar a cozinha individualmente ou em grupo e preparar as refeições, para entrada e saída (questão de segurança do (a)s hóspedes, principalmente crianças), visitas e recolhimento noturno.

 

As regras de uso dos espaços coletivos seguem a orientação de que haverá respeito à presença de outros hóspedes no recinto e ao mesmo tempo tolerância ao comportamento do dos outros. No mais a civilidade é um fator que deverá imperar no contato entre os hóspedes.

 

Até certo ponto, o endereço da Casa Vida terá que ser mantido em sigilo para assegurar a tranquilidade e segurança de pessoas que foram vítimas de violência doméstica ou tráfico de pessoas (estas últimas que não estejam dispostas a denunciar o caso à policia e assim passar para a tutela do Estado neerlandês)  e que eventualmente tenham um agressor (a, s) a sua procura.

 

A permanência máxima será de 15 dias como período padrão e os casos que necessitarem de exceção serão discutidos entre os membros da diretoria. 


 

Não será permitido o uso de bebidas  alcoólicas e drogas de nenhum tipo por parte dos hóspedes ou de suas visitas no interior da Casa.  A transgressão destas regras internas ocasionará o término sumário do oferecimento de abrigo ao transgressor(a).

 

A falta de observação das demais regras duas vezes consecutivas pelo hóspede ocasionará a interrupção da possibilidade de permanência na Casa Vida.

 

Orçamento Básico

 

O orçamento da Casa Vida será baseado em despesas de primeira necessidade que permitam o funcionamento satisfatório do abrigo. Dependendo do espaço físico que se venha dispor contaremos com a voluntariedade e liberalidade dos que assumirem este sonho como também seu. Empresas, indivíduos, organizações são bem vindas a sonhar e realizar conosco. Faça contato!